domingo, 31 de maio de 2009

Depressão - tratamento e sintoma

A depressão se manifesta por uma grande variedade de sintomas, mas nem os médicos são capazes de mensurar a dor que ela provoca

Quem já se sentiu deprimido sabe muito bem o que isso significa. As demais pessoas podem ter alguma ideia vaga de como se sente um deprimido, mas é impossível sentir aquilo que ele sente. Com a condição de não ter seus nomes revelados, algumas mulheres – nenhum dos homens abordados pela reportagem aceitou o convite – que sofreram ou sofrem com a doença descreveram sua dor. Dor que nem mesmo os psiquiatras podem mensurar, confessa o médico Geraldo José Ballone, professor de psiquiatria da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Camp).

A depressão se manifesta por uma grande variedade de sintomas, entretanto, eles decorrem, de acordo com o psiquiatra, de três básicos: sofrimento moral, inibição global e perda do prazer. Ballone conta que ao deprimido parece que a vida “perdeu o brilho” e nada é agradável. Existem casos de pacientes que se referem a esse incômodo dizendo que até sua sandálias havaianas apertam seus pés. O psiquiatra acredita que a depressão tenha uma origem multifatorial, sendo a noção ou controle do tempo um desses muitos fatores. “Lutar contra o tempo pode significar um esforço adaptativo relativamente novo na espécie humana, considerando o longo período de nossa evolução”, destaca.

Além do preconceito e dos estigmas sociais, a falta de diagnóstico e tratamento errado levam um número cada vez maior de pessoas a sofrer com a doença. Em termos numéricos, o suicídio não é o principal dano psíquico da depressão. A maioria dos deprimidos felizmente não se mata. “O maior dano é, sem dúvida, o prejuízo na qualidade da vida emocional, na sensação de infelicidade, na desesperança e na perda do prazer da vida”, explica Ballone, para quem a “obrigação de ser feliz” pode não ser uma causa de aumento na incidência da depressão, mas, sem dúvida, é um “importante fator de conscientização” da condição de vida.

“Nossa sociedade glorifica a expansividade, a extroversão, o barulho e não vê com bons olhos a reflexão, a mansidão, a introspecção. Se um adolescente fica mais tempo em seu quarto lendo, refletindo, escrevendo, sempre tem uma tia sugerindo aos pais para levá-lo ao psicólogo”, exemplifica.

Desconfiança
Mestre em filosofia política pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e praticante da filosofia clínica, o professor Will Eduardo de Goya diz que, ao atender pacientes com “transtorno depressivo”, percebe que muitos deles também utilizam a doença como uma maneira “inteligente e necessária” para vencer os desafios que encontram na vida. “Conheço pessoas que não suportam mais o trabalho ou o relacionamento conjugal e é através da ‘depressão’ que conseguem sobreviver e até sair disso”, explica.

Goya vê com desconfiança a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que 121 milhões de pessoas no mundo sofram de depressão. “Hoje em dia, duvido que haja uma só pessoa que não ficaria retida num exame psiquiátrico rigoroso para sério tratamento. Não sejamos ingênuos, alguém acredita que isso nada tem a ver com o vertiginoso aumento de medicações da indústria farmacêutica a exigir lucros?”, questiona.

5 comentários:

  1. tenho depressao mais nao tenho coragem de pedi ajuda o que eu faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HELVIO bom jeus-go3 de setembro de 2013 09:50

      Não faça isso, procure sim uma ajuda, enquanto eu não procurei um especialista não resolveu meu problema, um psicólogo vai te orientar como vc vai resolver os seus problemas se é que existem, pois a depressão ela não escolhe um determinada pessoa, classe social, se tem dinheiro, não se pode confundir c/falta de fé, vá ao médico eu te garanto que vai ser bom, hoje estou curado pq encarei a doença, não se sinta envergonhado, a vida é bela e sua família e amigos precisam de você, então....o que acha da idéia? Deus te abençõe....

      Excluir
  2. Oi gente presiso d ajuda sofro dessa malditas doença conversam comigo n meu email cristiane-rspoa@hotmail.com m mandei um oi ja estou desesperada não saio de casa mais sozinha o medo de passar mal de novo e muito grande

    ResponderExcluir
  3. Pois já passei mal mais d 5 vezes e já faz quase 5 anos q passo por isso minha pressão ja subiu meu coração ja acelerou tenho pensamentos ruins tenho medo de sair sozinha d casa já fiz tratamentos com vários remédio mais não adiantou tomei fluoxetina rivotril diazepam hoje tenho q tomar remédio para dormir se não não durmo tomo nelzine gente presiso d ajuda mesmo pois tenho dois filhos para cuidar m mandei um oi para nós conversa n meu email ou para m ajudar cristiane-rspoa@hotmail.com Cristiane meu nome aguardo alguém para mos conversarmos brigado pela atenção

    ResponderExcluir